No ar

Pastoral da Juventude

Sintonia Eclesial

13:00 - 13:59 com Pastoral da Juventude

Ouça ao vivo Ouça ao vivo

  • Promoção 39 anos

A SUPREMA INSEGURANÇA JURÍDICA

A SUPREMA INSEGURANÇA JURÍDICA

Durante muitos anos, discutiu-se, na comunidade jurídica nacional, se as ações de ressarcimento ao erário oriundas de atos dolosos de improbidade administrativa são imprescritíveis (art. 37, §5º, da CF/1988).

Os juristas, na sua maioria, sustentavam que as ações de improbidade administrativa decorrentes de atos dolosos são prescritíveis.

Ou seja, decorridos mais de 5 anos, o suposto autor do ato de improbidade administrativa não poderia mais ser processado. Para tanto, arrolavam basicamente dois argumentos jurídicos: a segurança jurídica e a garantia da ampla defesa.


Recentemente, o Plenário do Supremo Tribunal Federal, em sede de repercussão geral, decidiu, por maioria, no julgamento do RE n. 852.375/SP, essa relevante polêmica jurídica. A tese fixada foi a seguinte: “São imprescritíveis as ações de ressarcimento ao erário fundadas na prática de ato doloso tipificado na lei de improbidade administrativa.”


Em função dessa decisão proferida pela Suprema Corte, um Ex-Prefeito Municipal, por exemplo, após 30 anos do término de seu mandato, poderá, quando já estiver em casa usufruindo da sua aposentadoria, ser acionado pelo Ministério Público para ressarcir, em tese, um dano causado ao erário durante o exercício de seu mandato.


Assim, pela decisão do STF, não há qualquer prazo para o Ministério Público ingressar com ação civil pública de reparação de atos dolosos causadores de dano ao erário. Porém, a mencionada decisão provoca profunda insegurança jurídica para os agentes públicos e terceiros que contratam com Administração Pública.

Decorridos anos da realização do negócio jurídico e/ou da prática de ato administrativo, as partes envolvidas, ainda que sequer guardem lembrança dos fatos praticados, terão de responder, obrigatoriamente, ao processo judicial.


Nesse caso, seguramente, a ampla defesa estará gravemente ferida, pois dificilmente os acusados terão condições de encontrar as provas documentais e testemunhais para fazer uma defesa justa e correta de seus atos.

Nesse caso, o Supremo Tribunal Federal criou, no cenário jurídico nacional, a figura da “suprema insegurança jurídica” para todos aqueles que mantêm relações funcionais ou negociais com a Administração Pública.


Publicado por: Larissa Cavali Data: 18/01/2019 10:13

Fotos




Principais Notícias

Publicado em 24/08/2019 10:21 por Jardel Martinazzo

Ministro provincial visita a Paróquia São Paulo Apóstolo

O ministro provincial Cesário Palma assumiu a Província dos Capuchinhos do PR-SC em 2018. E neste período em que [...]

Publicado em 24/08/2019 09:09 por Douglas Varela

CDL promove curso na área de Neuro Vendas

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Capinzal, Ouro e Lacerdópolis promove no período de 09 a 11 de setembro o [...]

Publicado em 24/08/2019 09:05 por Jardel Martinazzo

Prefeitura de Capinzal e CDL ajustam datas para a programação natalina

Na sexta-feira (23), o Prefeito Nilvo Dorini juntamente com a Vice-Prefeita Noemia Bonamigo Pizzamiglio e o Secretário [...]

Outras notícias

Publicado em 24/08/2019 09:12

Associação Ourense das Mulheres da Agricultura Familiar elege a nova diretoria no final do mês

A Associação Ourense das Mulheres da Agricultura Familiar agendou para o dia [...]

Publicado em 23/08/2019 08:04

MAIS UMA SEMANA TENSA!

Não irei cansar de escrever que viver neste Brasil é uma piada! O povo fez [...]

Publicado em 23/08/2019 08:02

OS LEIGOS E SUA PARTICIPAÇÃO NA IGREJA

Os leigos são cristãos que têm uma missão especial na Igreja e na [...]

Publicado em 23/08/2019 07:58

OS IDOSOS E AS REDES SOCIAIS

O uso de celulares pela população idosa tem aumentado consideravelmente nos [...]

Publicado em 22/08/2019 16:32

Claudir Duarte cobra melhor sinalização para a SC 150 em frente ao Oratório do Caravággio

A falta de segurança e o risco iminente de acidentes na SC 150, em frente ao [...]

Publicado em 22/08/2019 15:48

Câmara aprova convite para que representante de laticínio da região utilize a tribuna

A Câmara de Vereadores do município de Ouro aprovou na última segunda-feira, [...]