No ar

Programação indisponível
  • WHATS
  • JOGO SEMIFINAL
  • 01
  • 02
  • 03

Descartamos aquilo que já conhecemos

Descartamos aquilo que já conhecemos

Auxiliando-se pelo manjado ditado “a grama do vizinho sempre é mais verde”, podemos analisar uma superficial efígie da vida: apenas gostamos daquilo que conhecemos superficialmente e somente almejamos algo até conseguir, para então, dar-se por repudiado e desejar algo que será descartado após subirmos ao pódio da vitória. Por mais incrível e absurdo que pareça, é uma breve síntese da existência.

Já me deleitei a observar famílias que possuem tradições, histórias, pais que muitas vezes se sacrificaram e construíram impérios, mas infelizmente, ao terminarem de esfriar em suas alcovas, os bens póstumos foram desfrutados sem zelo nem dó pelos filhos. Por vezes vendidos, tomados em ruínas, despejados aos dissabores das traças.

Ouvi inúmeros relatos, tecendo comentários de filhos pertencentes a donos de mercados: “ a última coisa que quero na vida é ser dono de um estabelecimento desses”, ou de pais motoristas: “não desejo que meus filhos sigam esta profissão”, de agricultores então... torcem e fazem de tudo para que seus primogênitos estudem e saiam do campo, em busca de uma vida melhor, menos desgastante. Numa entrevista, o Jóquei mais vitorioso do Brasil disse que nem em última das circunstâncias espera que seus descendentes exerçam a mesma labuta, pois alega que há muitas desonestidades por de trás dos holofotes.

E por hora, tudo o que levou uma vida toda para ser construído e afamado com demasiado suor cai por terra, pois os pais às vezes, não desejam que os filhos sigam a mesma linha de trabalho, deixando padecer empresas, propriedades, estabelecimentos, culturas nas mãos de compradores desalmados que quase sempre não cuidam da maneira como deveriam de uma herança histórica familiar. Ninguém pode zelar melhor de algo tanto quanto quem sentiu o peso da edificação.

Filhos desinteressados e pais que geralmente não incentivam um segmento, porque afinal, apenas quem exerce dia após dia uma mesma atividade conhece-a amplamente e compreende seus pontos fracos e fortes. Os sôfregos momentos e as desvantagens. Não sentimos vontade de seguir algo que já conhecemos pois sabemos dos lados obscuros e estressantes.

E aí almejamos coisas novas, aquilo que não temos. Jogamo-nos no mundo sem ter um chão, trabalhando em alguma coisa totalmente oposta ao qual já éramos habituados, pensando ter em fim encontrado o céu. Só que não é exatamente assim. Nos iludimos. Voltando a ideia inicial, apenas gostamos daquilo que não conhecemos na íntegra, mas quando passamos a conviver de maneira ativa, percebemos os prós e contras de cada setor. Nada é perfeito. Não se detendo apenas no nicho econômico, mas também fazendo alusão a objetos, produtos, hobbies e relacionamentos com as pessoas em si.

Somos movidos por isso, por este lance de nos alucinarmos e às vezes perder a graça depois que realmente conhecemos ou alcançamos as metas. Traçamos objetivos eloquentes que nos tiram da linha da sensatez, e vivemos infelizes até conquistá-los. Mas quando conseguimos aquilo percebemos que não era de fato o que queríamos. Não era tudo aquilo que nosso pensamento engrandeceu que fosse. Acontece que entre esse espaço de querer e conseguir há um negócio chamado vida, que às vezes esquecemos de desfrutá-la emaranhados em devaneios presunçosos e em dias depressivos e frustrantes.

É fácil adorar superficialmente, mas quando nos aprofundamos nas entranhas recônditas descobrimos veredas um tanto não satisfatórias. Que podem de iminentemente causar distanciamento, decepção e regurgitação, só que quando amamos mesmo aquilo que fazemos, suportamos e instruímo-nos a tolerar esses lados “não tão vantajosos” e extrair proveito deles; da melhor forma possível.

 


Publicado por: Douglas Varela Data: 02/06/2018 19:31

Fotos




Principais Notícias

Publicado em 19/09/2018 18:26 por Jardel Martinazzo

Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental – CISAM-MO realiza Assembleia Geral Ordinária

Na tarde desta quarta-feira, dia 19, o Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental (CISAM Meio Oeste) realizou em [...]

Publicado em 19/09/2018 17:00 por Jardel Martinazzo

Foragido da UPA de Campos Novos é recapturado

O foragido da Unidade Prisional Avançada (UPA) de Campos Novos, Josiel Onécio de Lima, foi recapturado por agentes [...]

Publicado em 19/09/2018 10:49 por Marlo Matielo

Em assembleia nesta tarde, prefeitos que integram o CISAM Meio Oeste discutem a adesão de Videira ao Consórcio

O Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental (CISAM Meio Oeste) promove na tarde desta quarta-feira, dia 19, na [...]

Outras notícias

Publicado em 18/09/2018 15:26

Vereador Amarildo Ganzala pede a manutenção na passarela metálica da Ponte Irineu Bornhausen

Vereador também solicitou melhorias na Rua Epitácio Pessoa  O vereador [...]

Publicado em 17/09/2018 09:56

Câmara de Ouro vota nesta noite novo requerimento convocando o secretário da agricultura

A Câmara de Vereadores do município de Ouro aprecia na noite desta [...]

Publicado em 15/09/2018 14:35

AD AGN Capinzal encara o Lages Futsal fora de casa pelo Estadual da Liga

A Associação Desportiva AGN (AD AGN Capinzal) enfrenta na noite deste [...]

Publicado em 15/09/2018 13:10

Acidente aéreo registrado no interior de Ipumirim deixa dois mortos

Um acidente aéreo foi registrado na comunidade de Linha Serra Alta, no [...]

Publicado em 15/09/2018 10:30

II Encontro da Família Modena em Linha Bonita

A comunidade de Linha Bonita, interior de Ouro, sediou o II encontro dos [...]

Publicado em 14/09/2018 14:20

Atuando por Caçador, dupla capinzalense está na semifinal dos Jogos Abertos de Santa Catarina

As atletas capinzalenses Liamara Popp e Claudia Vieira Sarmento estão na [...]