Geral

Risco de desabastecimento provoca filas nos postos de combustíveis Capinzal

  • Jardel Martinazzo
  • 09/09/2021 07:01
1945703416139db8d43f961.39333131.jpg

O risco de desabastecimento provocou corrida de motoristas aos postos de combustíveis de Capinzal e Ouro nas últimas horas. Ao longo da quarta-feira (08) alguns postos registraram filas de veículos.

Com caminhões parados nos bloqueios, alguns dos estabelecimentos estão apenas com gasolina aditivada, mas dependendo a situação poderá acabar antes do meio dia. É o caso do Posto Amigão.

O empresário Laércio Bordignon informou que no posto, próximo ao trevo de acesso a Piratuba, tem apenas a gasolina aditivada. Enquanto que no posto próximo à Unoesc, possui comum e aditivada, mas está sendo dada prioridade ao abastecimento de veículos das forças de segurança e saúde. Alguns estão limitando a quantidade por veículo. 

No posto Novo Horizonte, nas margens da SC-467, ainda possui gasolina comum e aditivada, mas também corre o risco de terminar se os caminhões com o combustível não forem liberados dos bloqueios.

O Auto Posto Mediterrâneo, no centro de Capinzal, informou que por volta das 15 horas de quarta-feira (08) terminou a gasolina comum e às 19 horas a gasolina aditivada.

Em um áudio que começou a circular pelas redes sociais na noite de quarta-feira (08), creditado ao presidente Jair Bolsonaro, o mesmo faz um apelo e pede para que as rodovias sejam liberadas.


“São nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham nossa economia, provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, especial os mais pobres. Então dá um toque nos caras, se for possível, para liberar. Não é fácil negociar aqui, mas a gente vai fazer a nossa parte e vamos buscar uma solução”, disse.

Em 2018 a greve dos caminhoneiros no Brasil recebeu a chancela de “crise do diesel”, e teve extensa a adesão nacional, que começou no dia 21 de maio estendendo-se até o último dia do mês, e só terminou com apelo do presidente à época, Michel Temer.

 

Enquete