No ar

Marlo Matielo

Super Manhã

08:00 - 09:59 com Marlo Matielo

Ouça ao vivo Ouça ao vivo

  • WHATS

Estatuto da Criança e do Adolescente completa 30 anos

Estatuto da Criança e do Adolescente completa 30 anos

No Brasil de 1990, uma em cada cinco crianças e adolescentes estava fora da escola, e uma em cada dez, entre 10 e 18 anos, não estava alfabetizada. A cada mil bebês nascidos vivos no país naquele ano, quase 50 não chegavam a completar um ano, e quase 8 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos eram submetidas ao trabalho infantil.

Para pesquisadores e defensores dos direitos dessa população, o país deu um passo importante para mudar esse cenário naquele ano, quando foi publicado o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que completa 30 anos hoje (13).

Passadas três décadas, o percentual de crianças e adolescentes fora da escola caiu de 20% para 4,2%, a mortalidade infantil chegou a 12,4 por mil, e o trabalho infantil deixou de ser uma realidade para 5,7 milhões de crianças e adolescentes.

O estatuto considerado parte desses avanços é fruto de um tempo em que a concepção sobre os direitos das crianças e adolescentes mudou no país e no mundo. O coordenador do Programa de Cidadania dos Adolescentes do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Mario Volpi, conta que o Brasil participou ativamente das discussões internacionais que culminaram, em 1989, na Convenção Sobre os Direitos da Criança da Organização das Nações Unidas (ONU), assinada por 196 países.

Mesmo antes de esse acordo ter sido ratificado no Brasil, em 1990, os conceitos debatidos na ONU contribuíram para a inclusão do Artigo 227 na Constituição Federal de 1988. A partir dele, tornou-se "dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão".

"Nas questões policiais, o ECA muitas vezes é visto como sinômimo de impunidade. Mas as pessoas que falam isso são adultas, e não se lembram de como o tempo é relativo e passa de maneira diferente para as crianças e adolescentes. Se você se imaginar com 12, 13 ou 14 anos, longe da sua mãe e preso, o quão infernal isso poderia ser? Esses meninos são bem responsabilizados, mas isso adequado à realidade e idade deles".

Apesar das dificuldades, o ECA também serviu de instrumento para reivindicar direitos para esses adolescentes, lembra ele, citando a decisão do Supremo Tribunal Federal que obrigou, no ano passado, o estado do Rio de Janeiro a soltar adolescentes apreendidos em unidades superlotadas, até que se atingisse a lotação máxima de 119% da capacidade de internos. Azambuja também cita que, durante a pandemia de covid-19, a Defensoria Pública do Rio de Janeiro cobrou que o governo do estado garantisse educação à distância aos adolescentes apreendidos e videochamadas com as famílias.

"As unidades deveriam se assemelhar a escolas, mas ainda vemos esses espaços como pequenas prisões, com todos os malefícios que isso gera, como uma subcultura criminal, incutindo neles o ideal de que são perigosos, prisioneiros, e moldando a personalidade deles de acordo com essa ideia, o que contraria toda a lógica do Estatuto da Criança e do Adolescente", analisa o defensor.

Por Denise Griesinger - Agência Brasil


Publicado por: Jardel Martinazzo Data: 13/07/2020 08:13



Principais Notícias

Publicado em 24/10/2020 07:36 por Jardel Martinazzo

Impeachment: Moisés será afastado e Daniela assumirá governo

O Tribunal Especial de Julgamento do Impeachment formou maioria e definiu o afastamento do governador Carlos Moisés [...]

Publicado em 24/10/2020 07:17 por Jardel Martinazzo

Homem é preso após agredir pai com faca em Capinzal

Um homem foi preso no final da noite de sexta-feira (23) após agredir o próprio pai no Loteamento São Luiz, em [...]

Publicado em 23/10/2020 14:00 por Douglas Varela

Portaria estabelece novas medidas para o controle de Brucelose e Tuberculose em SC

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (CIDASC) mantém com a fiscalização em uma [...]

Outras notícias

Publicado em 24/10/2020 08:39

O NOVO VAREJO: ON LINE E OFFLINE

Existe uma série de tecnologias desenvolvidas recentemente para o varejo. [...]

Publicado em 23/10/2020 11:35

Governador Carlos Moisés inaugura nesta tarde a pavimentação da SC-467 que liga os munícipios de Ouro e Jaborá

O Governador Carlos Moisés da Silva estará na tarde desta sexta-feira (23) [...]

Publicado em 23/10/2020 11:17

PRF recupera veículo roubado em Campos Novos, na BR 470

Nesta quinta-feira (22), por volta de 14h45, policiais rodoviários federais [...]

Publicado em 23/10/2020 10:27

PARA QUEM VAI TEU VOTO?

Com pouco mais de vinte dias para a eleição de 15 de novembro, novamente [...]

Publicado em 23/10/2020 10:21

CRIANÇAS ESCRITORAS EM SUA CASA

Zélia Maria BonamigoJornalista e [...]

Publicado em 23/10/2020 09:34

Receita abre hoje consulta a lote residual de restituição do IR

A Receita Federal abre hoje (23), às 10h, a consulta ao lote residual de [...]